Cultura made in Brazil para exportação (e uso interno também!)

2 de março, 2015
02.03.15_blog2

O Brasil esta aprendendo a ser grande não só no tamanho de seu território, mas também na oferta de cultura. São inúmeros museus e centros culturais que vem surgindo e se reinventando para que a experiência do público seja cada vez melhor. Não à toa, em 2014, o site Tripadvisor promoveu o prêmio Travellers choice dos melhores museus do mundo, e, entre os 25 escolhidos, 2 são brasileiros: Instituto Ricardo Brennand, em Recife (PE) com a 17ª posição, e Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG) na 23ª.
Apesar de ficar atrás da instituição pernambucana, o Inhotim parece, hoje, estar mais conhecido, e até popular, que o 1º. O lugar reúne um Centro de Arte Contemporânea e Jardim Botânico no mesmo espaço de 110 hectares. Entre a imensidão de espécies tropicais, instalações, obras de arte e 21 pavilhões de exposição se espalham. Cem, das 500 obras do acervo, estão expostas, sendo 23 ao ar livre. Cada pavilhão poderia ser considerado uma obra à parte, já que suas arquiteturas são igualmente impressionantes.
Nas exposições permanentes, nomes como Tunga, Cildo Meireles, Miguel Rio Branco, Hélio Oiticica & Neville D`Almeida, Adriana Varejão, Janet Cardiff & George Miller, entre outros, fazem jus à fama do lugar.
Você pode se hospedar num dos hotéis de Brumadinho ou ficar em Belo Horizonte e fazer o translado de pouco mais de 1 hora até o Inhotim. Passe o dia todo por lá sem se preocupar, já que é possível usar carrinhos de transporte dentro do parque (tickets devem ser comprados antecipadamente), estrutura de banheiros por todo o parque, além de lanchonetes e restaurantes. Planeje-se para ter pelo menos dois dias inteiros para conhecer o instituto.
http://www.inhotim.org.br